Se funcionar contra o coronavírus, o mRNA poderá iniciar uma revolução no desenvolvimento de vacinas

Um vacina para o  COVID-19 é considerada a chave para levantar medidas de distanciamento social, reabrir escolas, mercados e eventos em todo o mundo.

 Entre os pioneiros no desenvolvimento de vacinas, existem vários métodos sendo utilizados: atenuado ao vivo, inativado, subunidade, toxóide, DNA e mRNA.

 Hoje, o método mais avançado é o mRNA (ácido ribonucleico mensageiro).

 Essas plataformas relativamente novas permanecem não comprovadas, mas têm muitas promessas.  Espera-se que esta tecnologia, se entregue, acelere e  “revolucione” o desenvolvimento de vacinas.

O que as vacinas fazem?

 Em geral, as vacinas “treinam” e fortalecem o sistema imunológico do corpo para desenvolver resistência contra patógenos e doenças imitando uma infecção – para ativar uma resposta imune natural específica ao agente infeccioso (como o vírus COVID-19).

 Por que uma vacina de mRNA está sendo chamada de “revolucionária”?

Essa vacina usa técnica diferente das vacinas tradicionais, baseada no mRNA (ou RNA mensageiro) do vírus. Ela consiste em introduzir no corpo uma parte do material genético do vírus que contém as instruções para produzir a proteína que o liga às células do hospedeiro – chamada spike. Ao reconhecer a presença deste componente, o processo desencadearia, em tese, uma resposta imune sem risco.

Essa técnica é bastante diferente dos modelos tradicionais de desenvolvimento de vacinas.  Em geral, eles partem do princípio de injetar no corpo proteínas ou o próprio vírus (morto ou atenuado), induzindo o organismo a produzir uma resposta imunológica ao invasor.

Como funciona a tecnologia da vacina mRNA?

 A sequência de mRNA codifica antígenos (agentes de combate a doenças) ou proteínas idênticas ou semelhantes às do patógeno.

 Após a entrega da vacina no corpo, essa sequência é traduzida pelas células hospedeiras para produzir os antígenos codificados, que estimulam o sistema imunológico adaptativo do corpo a produzir anticorpos contra o patógeno.

 A Nature relata que a maior vantagem da tecnologia de mRNA é a rápida fabricação de vacinas.

 Em teoria, o uso do mRNA como base de terapêuticas e vacinas é caracterizado por uma flexibilidade em relação à produção e aplicação.

 “Qualquer proteína pode ser codificada e expressa pelo mRNA, permitindo, em princípio, o desenvolvimento de vacinas profiláticas e terapêuticas que combatam doenças tão diversas como infecções e câncer, bem como terapias de reposição de proteínas”, de acordo com a RNAbiology.

Quais são as vantagens da vacina mRNA sobre o DNA ou outras tradicionais?

 As vacinas de mRNA oferecem múltiplas vantagens sobre as vacinas de DNA em termos do seguinte:

 Capacidade de Produção em massa

 Administração

 Segurança

Quais as desvantagens das vacinas mRNA?

Até hoje, nenhum estudo que usasse essa técnica foi concluído. Portanto, mesmo que sejam pesquisadas há anos, imunizações baseadas no mRNA nunca foram licenciadas para comercialização e aplicação em pessoas.

Quais são os principais candidatos a vacina mRNA?

 Existem dois, entre os 10 principais:

 BNT 162 – Pfizer / BioNTech / Fosun Pharma

 mRNA-1273 – Moderna / Instituto Nacional de Alergia e Doenças Infecciosas